Crítica | Anime | Irozuku Sekai no Ashita Kara


"Irozuku Sekai no Ashita Kara" ("Iroduku: O Mundo em Cores") é um anime original escrito por Yuuko Kakihara (um dos roteiristas de "Orange"). A obra é animada pelo estúdio P. A. Works (o mesmo de "Angel Beats" e "Another") e dirigida por Toshiya Shinohara (que dirigiu alguns episódios de "AnoHana" e "Gurren Lagann").


A história é sobre a estudante do ensino médio Hitomi Tsukishiro, que não consegue mais ver as cores e enxerga o mundo em preto e branco. Descendente de uma família de magos, a menina é enviada por sua avó, Kohaku Tsukishiro, 60 anos de volta no tempo, de 2078 para 2018.


Em 2018 Hitomi encontra sua avó Kohaku ainda jovem e a partir daí a história se desenvolve. Hitomi passa a frequentar a escola junto de sua avó, com esta também no ensino médio, e vem a fazer parte de um clube de artes e fotografia. Nesse clube ela conhece novos amigos, como o desenhista Yuito Aoi.


Por algum motivo Hitomi consegue ver apenas as cores dos desenhos de Yuito; o porque disso e a relação entre os dois deverá ser trabalhada no anime. Além desse ponto, a menina, mesmo sendo descendente de uma família de magos, não é boa em usar magia e, junto com Kohaku e seus novos amigos, terá que descobrir porque ela não consegue ver as cores e por qual motivo sua avó em 2078 a enviou para o passado para conhecê-la enquanto jovem, em 2018.


"Irozuku Sekai no Ashita Kara" é um drama lento e melódico. Um anime que pode vir a desenvolver uma história de romance e se tornar ainda mais sentimental. "Iroduku: O Mundo em Cores" está disponível para o Brasil no Amazon Prime Video e é uma excelente pedida para quem curte animes de drama com romance, com um trabalho visual e de fotografia muito bons. Começou a ser transmitido no começo de outubro e terá 13 episódios. Vale a pena conferir.

Postar um comentário

0 Comentários